Rommanel

terça-feira, 8 de maio de 2012

TECNÓLOGO EM LATICÍNIOS DO IFRO POSSUI MERCADO CONSOLIDADO EM RONDÔNIA

Com dezenas de empresas produtoras de derivados do leite e com o IFRO sendo o único a ofertar o curso, Rondônia representa boa oportunidade para os formados na área

A indústria de laticínios de Rondônia vem se consolidando no mercado regional e nacional. Com uma produção leiteira de 2,5 milhões de litros/dia de acordo com o sindicato da categoria, a indústria local produz leite pasteurizado, doces, requeijão, queijos, manteiga, entre outros derivados. No Brasil, o setor tem uma participação expressiva na economia. Em Rondônia, há cerca de 30 empresas na área, que tem o Câmpus do Instituto Federal de Rondônia (IFRO) em Colorado do Oeste como única instituição no Estado com curso de Tecnologia em Laticínios.   
Para o presidente do SINDILEITE/RO, Pedro Bartelli, o profissional que se formar tecnólogo em laticínios terá pela frente um mercado estável. “Sendo um bom profissional encontrará trabalho, pois o setor está com a economia sólida no Estado, 75% dos nossos produtos são exportados para outras regiões do País”, comenta Pedro. 
O engenheiro e coordenador do curso no IFRO, Nélio Ranieli de Paula, explica que o Tecnólogo em Laticínios pode atuar em vários setores. “Quem se forma nessa área pode trabalhar em grandes indústrias alimentícias e também assessorar pequenos e médios produtores. Participa ainda de todo o processo produtivo dos derivados de leite, como queijo, manteiga, sorvetes e outros. Ele acompanha desde a ordenha até o controle de qualidade final”.
O Curso de Tecnologia em Laticínios busca ensinar a utilização de métodos e tecnologias na industrialização do leite e seus derivados. São profissionais muito procurados, pois há uma grande exigência nos cuidados de conservação e qualidade, tanto por parte dos consumidores quanto dos órgãos de fiscalização. Por isso, “há oportunidades de trabalho nas indústrias e órgãos fiscalizadores, além de poder prestar consultoria para fazendas produtoras de leite e indústrias do setor”, ressalta Nélio.
Atualmente, há quatro turmas em Colorado do Oeste, totalizando aproximadamente 100 alunos. Durante os três anos e meio de duração do curso, o aluno estuda disciplinas voltadas para a produção e conservação de laticínios, como desenvolvimento de produtos e gestão de qualidade, além de processamento de alimentos em geral.
Na avaliação feita no ano passado pelo Ministério da Educação (MEC), o curso de Tecnólogo em Laticínios do IFRO obteve conceito 4, em uma escala que vai até 5.“Isso indica que nossa educação está no rumo certo, em direção a uma qualidade excelente. É uma prova que o MEC percebeu que estamos conseguindo trabalhar bem as áreas de ensino, pesquisa e extensão”, diz o coordenador.
Edmar da Costa Alves, 31, é Técnólogo em Laticínios formado no Câmpus de Colorado. Aluno da primeira turma do curso, que começou no segundo semestre de 2006, ele conta que recebeu o diploma e prestou concurso para o IFRO e foi aprovado. Hoje trabalha na agroindústria de leite instalada no Câmpus.
Enquanto cursava Laticínios, Edmar já trabalhava em uma empresa do ramo instalada na região, situação que o ajudou muito a ampliar a visão e conhecimentos na área. “O curso forneceu embasamento teórico e prático, básicos para o início de carreira e para entrar no mercado de trabalho”, conclui.
Os interessados em seguir a carreira, o IFRO está com 40 vagas abertas em seu  processo seletivo. As inscrições vão até a próxima sexta-feira, 11, que também oferta vagas em Gestão Ambiental e Engenharia Agronômica (Câmpus Colorado), Licenciatura em Química (Ji-Paraná) e para o Técnico em Aquicultura (Ariquemes). Totalizando 200 vagas nas três unidades.

Nenhum comentário: