Rommanel

quinta-feira, 18 de agosto de 2011

"DUELO DA FRONTEIRA" BOI MALHADINHO É O VENCEDOR DE 2011

Fotos Ney Cunha e Eliton

Fotos Ney Cunha e Eliton
Fotos Ney Cunha e Eliton

Terminou por volta das 20h, a apuração do Festival Folclórico Duelo da Fronteira. O boi-bumbá Malhadinho venceu por sete décimos o adversário, Flor do Campo, campeão nos últimos dois anos.

A pontuação do vencedor foi de 1231,8 e o segundo colocado ficou com 1.231,1 pontos, segundo informações do jornalista Sílvio Santos, que acompanha o evento. Sílvio ressalta que nem o acidente sofrido por um artesão que carregava uma alegoria durante o desfile tirou o título do boi vencedor.

Com um investimento de R$ 1 milhão do Governo do Estado, o Festival Folclórico Duelo da Fronteira, ocorrido nos dias 12,13 e 14 de agosto, em Guajará-Mirim, contou com um público calculado em 15 mil pessoas para cada dia do evento, um número maior do que o esperado no final de semana.

O requinte das apresentações dos bois-bumbás Malhadinho e Flor do Campo impressionaram os visitantes. “Estamos chegando perto de Parintins [famoso festival folclórico do Amazonas]. Só que lá cada apresentação custa entre R$ 3,5 milhões a R$ 4 milhões e aqui cada grupo gasta em média 350 mil”, diz o diretor da Associação Comercial do município, Cícero Noronha.

O grande número de visitantes movimentou a economia do pequeno município, com 41 mil habitantes, localizado na fronteira com a Bolívia, a 350 quilômetros de Porto Velho. “O Festival envolve toda a comunidade e cria emprego para um grande número de pessoas que participam dos trabalhos de preparação dos desfiles e na recepção de turistas”, diz Noronha.

“Os moradores estão começando a alugar suas casas durante o evento. Neste ano,15 dias antes do início do festival já não se encontrava vagas nos hotéis”, informa ele.

A exemplo do que ocorre em Parintins, em Guajará o festival também divide a cidade entre o azul e o vermelho, as cores do Malhadinho e do Flor do Campo. Para incentivar os moradores a entrarem no clima da festa, a prefeitura instituiu um concurso para as casas mais bem caracterizadas pelas torcidas dos dois grupos. A cidade conta com um bumbódromo, que neste ano recebeu investimentos do Governo do Estado.

Localizado às margens do rio Mamoré, Guajará-Mirim foi criado no ponto final da Estrada de Ferro Madeira-Mamoré, sendo o segundo município mais antigo do Estado. O patrimônio histórico e a possibilidade de comprar barato na cidade vizinha, Guayará-Merin, na Bolívia, acentuam o potencial turístico do município, localizado em região de grande beleza natural.

Guajará-Mirim é considerado o guardião da floresta em Rondônia, já que 93% do seu território são formados por terras indígenas e unidades de conservação, situação que inviabiliza o desenvolvimento da agropecuária no município. A Pérola do Mamoré, como é conhecido o lugar, passa por uma grave situação financeira e tem recebido apoio do Governo do Estado para a geração de empregos e renda para a população.

Recentemente o município recebeu R$ 5 milhões para serem aplicados na prestação de serviços de saúde, que é precária em Guajará.

Nenhum comentário: