Rommanel

domingo, 29 de maio de 2011

2º CONGRESSO DE FARMÁCIA E BIOQUÍMICA DE RONDÔNIA FOI REALIZADO COM SUCESSO



Como parte do programa de educação continuada do Conselho Regional de Farmácia de Rondônia (CRF-RO) foi aberto na noite dessa quinta-feira (26) e seguiu com palestras, cursos e conferências até as 12h30 de domingo o 2º Congresso de Farmácia e Bioquímica de Rondônia, no campus da Uniron do Porto Velho Shopping. Em tempos de discussão da reestruturação do Sistema Único de Saúde (SUS), o evento, que lotou o auditório de acadêmicos e profissionais, inclusive de áreas como medicina, consiste em um momento importante para o debate da assistência farmacêutica como uma das 14 áreas de atendimento à saúde.


Na abertura, que contou com a presença do secretário estadual de Saúde, Alexandre Muller, representando o governador Confúcio Moura; o deputado federal, Mauro Nazif e representantes de várias entidades da classe farmacêutica, a presidente do CRF-RO, Ana Caldas, destacou o papel do farmacêutico como vital para a saúde, por dominar saberes desde a prevenção de doenças, passando pelos sintomas, elaboração de fórmulas medicamentais, dispensação e acompanhamento da evolução do tratamento até a cura.


Segundo ela, são mais de 130 mil profissionais hoje no País atuando em mais de 70 ramificações da área da farmácia dos setores públicos e privados, seja nos laboratórios de análises clínicas, farmácias e drogarias, unidades hospitalares e indústrias de medicamentos, alimentos, cosméticos, produtos agrícolas, entre outras. “Eventos como este só têm acrescentar para que nossos profissionais sirvam melhor à sociedade”, observou.


Para a diretora geral do Conselho Federal de Farmácia (CFF), Lérida Vieira, que também é conselheira federal por Rondônia, ressaltou a busca do conhecimento, que promove transformações, como o principal argumento para a participação no Congresso. “Criamos entre os profissionais e estudantes de farmácia a cultura da busca do conhecimento técnico-científico e humanístico com o objetivo de entendermos o tratamento do ser e o ser que tratamos. E é o conhecimento que está levando a farmácia ao momento mais prodigioso de sua história, que é o resgate de sua força motriz baseado no desejo e necessidade de prestar serviços com qualidade à sociedade”.


Com relação às capacitações profissionais, Lérida Vieira disse que estão levando os farmacêuticos a assumir suas funções sociais como profissional da saúde e a promover pequenas revoluções na saúde brasileira, transformando as farmácias em estabelecimentos que ofereçam produtos e serviços qualificados e funcionem como centros auxiliares do SUS, que por sua vez tem sua força de trabalho gerada por uma equipe multiprofissional, da qual deve fazer parte o farmacêutico.


A importância estratégica do farmacêutico para a saúde, segundo a diretora do CFF, é reconhecida também pelo Ministério da Saúde ao orientar os gestores municipais a organizarem seus setores de assistência farmacêutica, mantendo o farmacêutico no centro dos mesmos. Citando o escritor Monteiro Lobato, ela concluiu dizendo que “somos soldados em defesa de todos”.


O secretário Alexandre Müller considera o Congresso importante para o momento de transformações porque passa o Estado, com a reestruturação administrativa pautada na cooperação e prestação de serviços humanizados. Para o deputado Nazif, a participação dos estudantes e profissionais atende às exigências do mercado, que têm como foco o conhecimento, responsabilidade e amor à profissão. Ele ainda falou sobre a luta por um piso salarial compatível à atuação dos trabalhadores da saúde, redução da carga horária para 30 horas semanais e aposentadoria especial.


Veronilda Lima

Nenhum comentário: