Rommanel

segunda-feira, 1 de novembro de 2010

GOVERNADOR ELEITO DE RONDÔNIA DIZ QUE SÓ PROCURA DILMA COM PROJETOS.

Novo governador de Rondônia Confúcio Moura logo após votar neste segundo turno na cidade de Ariquemes.
O governador eleito Confúcio Moura acompanhado do seu vice Acir Gurgaz, sua esposa Dona Alice Moura e Amir Lando, no camarim da Tv Rondônia antes do último debate. Foto: Ney Cunha
Eleito ontem governador de Rondônia, Confúcio Moura (PMDB) afirmou logo após a vitória nas urnas que pretende procurar a presidente eleita Dilma Rousseff (PT) apenas quando tiver projetos em mãos.

"Primeiro, vamos elaborar projetos técnicos bem fundamentados. Só vamos procurá-la depois que tivermos dados concretos. Não vamos fazer pedidos só por ofício. Vamos nos basear em dados reais", disse.

Segundo Confúcio, que é médico, o grande problema do Estado é a saúde.

"Os grandes dramas de Rondônia são saúde pública, em primeiro lugar. É dramática a situação. Em segundo, a regularização fundiária e ambiental", afirmou.

"O atendimento hospitalar é precário em Rondônia e existem segmentos completamente abandonados, como os ribeirinhos, desassistidos ou precariamente atendidos. E as unidades de emergência são calamitosas", acrescentou o governador eleito.

Com 98,16% das urnas apuradas, Confúcio tinha 58,87% dos votos válidos.

Candidato à reeleição, o governador João Cahulla (PPS) estava com 41,13%.

Os dois candidatos votaram no interior do Estado. Mesmo assim, parte das ruas de Porto Velho amanheceu coberta por santinhos em locais próximos aos de votação.

A Folha encontrou apenas propaganda de Confúcio.

Os procuradores regionais eleitorais Heitor Alves Soares e Ercias Rodrigues de Souza disseram, porém, que havia santinhos também de Cahulla.

Por conta disso, os partidos e coligações dos dois candidatos serão multados em R$ 5.000, cada um, devido ao derrame de santinhos nas ruas, disse Souza.

Após o primeiro turno, os procuradores entraram com ação na Justiça Estadual para que os partidos fossem multados se lançassem propaganda em calçadas e ruas, como ocorreu na votação de 3 de outubro.

Fora a sujeira nas ruas, o TRE (Tribunal Regional Eleitoral) registrou poucos problemas durante a votação.

No caso mais inusitado, segundo relatório do TRE, "um cachorro invadiu a seção três e roeu o cabo" da urna eletrônica em Guajará-Mirim (274 km de Porto Velho). A urna foi substituída.

A principal preocupação do TRE era que ausência de filas de eleitores já indicava um grande número de abstenções, que no fim da apuração estava em 25,5%

Na capital do Estado, o desrespeito à Lei Seca levou a polícia a prender 27 pessoas, encaminhadas depois à Justiça Eleitoral.

Nenhum comentário: