Rommanel

terça-feira, 16 de novembro de 2010

GANHADORES DO FEST-CINE AMAZÔNIA

Foto: Ney Cunha

O encerramento da 8ª edição do FestCineamazônia foi marcado pela emoção da homenagem à cantora e atriz Zezé Motta, e pela alegria da premiação dos filmes, artistas e diretores vencedores que receberam o troféu Mapinguari. O festival é o maior da região e foi realizado de 9 a 13 de novembro, no Teatro Banzeiros, em Porto Velho. Durante uma semana a Capital rondoniense esteve envolvida no evento. Enquanto acontecia a mostra competitiva no Banzeiros, as comunidades sem salas de cinema recebiam a mostra paralela: Cinema no Bairro, Cinema no Circo, A Escola Vai ao Cinema, Cinema no Terreiro e Mostra Arco-Íris. Duas oficinas técnicas foram oferecidas; Cinema de Guerrilha com técnicas para produção de audiovisual a baixo custo, ministrada pelo cineasta português Ricardo de Almeida, e, Cinema na Sala de Aula para utilização de audiovisual como ferramenta pedagógica, tendo como ministrante a cineasta Bete Bullara. Um debate sobre a Integração Latinoamarericana nivelou idéias sobre o modelo econômico ideal para os países latinoamericanos. O mediador foi o poeta Carlos Moreira e os debatedores: o poeta Thiago de Mello, Juan Carlos Ciespo (Bolívia), e Arturo Corcuera (Peru). Vencedores • Prêmio Chico Mendes (Melhor Roteiro): Hugo Moss, do filme Incômodo (RJ) • Prêmio Marina Silva (Melhor Montagem): Vitor Souza, do vídeo Mãos de Outubro (PA) • Prêmio Silvino Santos (Melhor Fotografia): filme Ave Maria ou Mãe dos Sertanejos, Camilo Cavalcanti • Prêmio Capô – Maurice Capovilla (Melhor Linguagem): Márcio Salem, do filme Vento (SP) • Melhor Direção: Marília Hughes e Cláudio Marques, do filme Carreto • Melhor Ator: Dinarte Freitas, do filme The Boléia (Portugal) • Melhor Atriz: Valéira Gianeguini, do filme Cheirosa (MG) • Prêmio Esperança – Thiago de Mello – Juri Popular: vídeo Número Zero, de Cláudia Nunes (GO) • Melhor Trilha Sonora Original: diretor Márcio Salem, pela ficção Vento (RJ) • Melhor Reportagem Ambiental Nacional: reportagem Amazônia e Aquecimento Global, direção Paula Saldanha e Roberto Werneck (RJ) • Melhor Reportagem Ambiental Rondoniense: Resex Pacaas Novos – Uma Comunidade Esquecida, de Wagna Vieira (Amazon SAT/Porto Velho) • Prêmio Menção Honrosa do Juri: filme É muita Areia Pro Meu Caminhãozinho, de Ana Paula Guimarães e Eduvier Fuentes Fernandes (SP) • Prêmio Vitor Hugo – Melhor Ficção: filme A Casa das Horas, de Heraldo Cavalcante (CE) • Prêmio Major Reis – Melhor Animação: filme Buba e o Aquecimento Global, de Eduardo Takai Nakamura (SP) • Prêmio Danna Merril – Melhor Documentário: dois vencedores: Dona Militana a Romanceira dos Oiteiros, de Hermes Leal (RG) e o vídeo Me Voy, de Maria Emília Coelho • Menção Honrosa Especial da Organização do FestCineamazônia: A Noite Por Testemunha, do diretor Bruno Torres (DF) • Melhor Filme (uma câmera de vídeo): O Filme Mais Violento do Mundo, de Gilberto Scarpa (MG)

Um comentário:

elypaschoalick disse...

Fico imensamente feliz ao ler o nome de minha ex-aluna Valéria Gianechini como melhor atriz pelo filme Cheirosa. Que Belo! Parabéns!