Rommanel

quarta-feira, 7 de abril de 2010

"GUAJARÁ-MIRIN", 81 ANOS DA PÉROLA DO MAMORÉ




A história de Guajará-Mirim será destaque no festival Curtamazônia.
O Festival de Cinema Curta Amazônia além de exibir filmes para a comunidade rondoniense, vem contribuir e prestar esclarecimentos de nossa própria história. Estamos divulgando cidades que participam desse processo, e Guajará Mirim não poderia ficar sem essa lembrança aos rondonienses,
porque 10 de Abril faz parte de nossa História.
Conhecer Guajará Mirim é muito bom, afinal você que ainda não conhece, vai lá e confira o que a cidade pode lhe proporcionar, além de ser a cidade mais antiga do interior do Estado de Rondônia. Tem diversas atividades culturais que acontecem na cidade, temos o Desafio dos Bois Bumbás o Duelo na Fronteira entre os dois bois Flor do Campo e Malhadinho, e temos locais turísticos pouco visitados:
- A Gruta ou caverna dos Pacaás Novos.
- O Alto da Chapada dos Pacaás Novos - Torre da EMBRATEL.
O passeio até os Rio Pacaás Novos - que apresenta o nosso encontro das águas com o rio Mamoré.
- As Cachoeiras e Corredeiras – Guajará-Mirim, Guajará-Açú, Bananeira, Pau Grande, Lage, Praia da Pedra da Morte e Praia das Três Bocas.
- O Parque Municipal Natural Serra dos Parecis.
- As tribos indígenas que lhe proporciona artesanatos indígenas que se pode comprar na aldeia.
- As reservas extrativistas existentes próxima da cidade.
- A Vila do Iata, com corredeiras e algumas peças que mostram um pouco da Estrada de Ferro Madeira Mamoré.
- Tem a visita à cidade boliviana Guayaramerin, cruzando o Rio Mamoré.
A cidade tem várias bandeiras bancárias para atender o público visitante, farmácias, lanchonetes, rodoviária, aeroporto, hotéis, pousadas e restaurantes que constituem numa excelente culinária regional, como a caldeirada de tambaqui feita no tucupi, a jatuarana na folha da bananeira, o dourado frito ou cozido, o pirarucu com banana frita, o tacacá com pipoca, os sucos naturais de variadas frutas da região, o tradicional café da manhã no mercado municipal.
Vale a pena conhecer Guajará Mirim a “Pérola do Mamoré”, 320 Km da capital Porto Velho/RO, pela BR 364 sentido Rio Branco, no entroncamento do Km 190, vire à esquerda na BR 425 e à 130 Km é a cidade.
Fonte: Assessoria

Um comentário:

Marco disse...

o trem realmente é muito bonito, sem contar o valor histórico e cultural.
o absurdo é que está totalmente abandonado, a ferrugem está tomando conta, só tem odor de urina no interior dos dois trens,a praça onde estão exposto está tomada pelo mato,
e não existe pavimentação, o museu então nem se fala,está fechado, ameaçado de desabar, infelizmente o comentário que eu queria postar não era este,
mas diante de tanto descaso e desrespeito por parte das autoridades desta cidade,
como brasileiro eu fui obrigado a fazer este comentário.