Rommanel

quarta-feira, 23 de dezembro de 2009

O GAROTO RONDONIENSE MAICOM SERÁ ESTRELA DA REDE GLOBO NESTA NOITE

Menino de Mirante da Serra Rondonia no especial da globo Nascido em Mirante da Serra, Rondônia, Maicom Coelho, 11 anos, foi descoberto através do YouTube: um clipe da música
Nascido em Mirante da Serra, Rondônia, Maicom Coelho, 11 anos, foi descoberto através do YouTube: um clipe da música "Menino de rua", no qual ele canta ao lado do baiano Pepe Moreno, revelou o seu talento. Mas até ser contratado para trabalhar com Moreno, seu ídolo, e fazer o tal vídeo, Maicom protagonizou uma saga digna de "2 filhos de Francisco", com direito a participações em shows de calouros e tudo. Essa história bem poderia ilustrar um conto de Natal, mas é apenas a jovem biografia do protagonista do especial de fim de ano da TV Globo, o "Dó-Ré-Mi-Fábrica", com direção geral de Denise Saraceni e concepção musical de João Falcão, que será exibido quarta-feira, dia 23, depois de "Viver a vida".
Ao lado de Lázaro Ramos, Nathália Dill e Chico Diaz, Maicom faz sua estreia na TV no musical escrito por Péricles Barros. Ele é Tom, um menino pobre, catador de lixo, que trava uma batalha ao lado de Ludovico (Lázaro), inventor de instrumentos musicais bem inusitados, para convencer empresários a investirem em música. A dupla precisa salvar a Dó-Ré-Mi-Fábrica - empresa comandada por Ludovico e por seu irmão gêmeo, Arquimedes - da falência.
- Estava em busca de um menino que tivesse a música dentro de si, não queria um ator - conta Falcão. - Fiz uma busca combinada na internet com "garoto/guitarra" e "menino/bateria", até que achei o vídeo do Maicom, com mais de 2 milhões de acessos.
Inicialmente, Tom só tocaria instrumentos no especial, mas como Maicom cantando é um espetáculo, duas músicas foram inseridas no roteiro: "Trenzinho do caipira", de Villa-Lobos e Ferreira Gullar, e "Boa noite, noite", criada especialmente por Falcão para o programa.
Fã de Zezé di Camargo & Luciano, Maicom passou um mês no Rio para gravar o especial. Fora a fase de adaptação, foi uma semana de ensaios mais 10 dias de gravações frenéticas.
- Foi cansativo e divertido. Em alguns dias gravamos até quatro horas da manhã, mas já estava acostumado. Quando viajei em turnê com a banda de Pepe Moreno ficava acordado até sete horas - conta Maicom que, como morre de medo de avião, precisou viajar por três dias de ônibus para voltar para a sua Rondônia.
O menino realmente não cansa e, no último dia de gravação, ainda sacolejava entre Nathália e Lázaro enquanto a diretora fazia a marcação da cena. Embora novato, ele não se intimidou com as câmeras.
- Decorei minhas falas, as do Lázaro e as da Nathália em cinco dias, de tanto ler o texto. A minha parte foi a mais difícil, pois é a mais longa - gaba-se Maicom, aluno da 5o ano do Ensino Fundamental.
Lázaro, aliás, também teve trabalho dobrado para dar vida aos gêmeos Ludovico (com uma cabeleira de dreadlocks) e Arquimedes (dono de madeixas lisas). Em um primeiro momento, nota-se que um é o mocinho e o outro é o vilão. Mas Lázaro explica que não é assim que a banda toca:
- Dependendo do momento da história, os papéis são invertidos. Na ânsia de ser empresário, o Arquimedes esquece da criatividade, que é exatamente o lado bom do irmão. Ludovico, por sua vez, só pensa em criar e esquece que precisa vender os instrumentos. Eles se complementam - defende Lázaro. - É história contemporânea. Não precisamos mais ter a bruxa e a Branca de Neve para dialogar com as crianças.
O conto de Natal moderno é ambientado numa espécie de versão musical de "A fantástica fábrica de chocolate". Com direito a parede revestida por pratos de bateria e a máquina que monta guitarra de uma corda só. O universo lúdico faz contraponto com o lixão (de verdade, feito com materiais oriundos da coleta seletiva da Globo), onde vive Tom.
- O programa leva uma mensagem de amor e companheirismo - conclui Lázaro.


Nenhum comentário: